Você e a Dança ♥

Olá meninas. Há mais de um ano eu mudei de igreja e essa igreja que eu fui, há várias pessoas com histórias lindas de dança, eu mesma fui pra essa igreja com esse propósito que é adorar a Deus com uma forma que eu amo que é dançar. Entrei no ministério Adorar e fui fazer parte da dança, lá eu pude conhecer melhor as pessoas e sua paixão por dança. Nesse post eu vou falar sobre alguns ritmos e a história das pessoas com a dança. Vamos lá? 🙂

BALLET

Entrevistado: Reginaldo Pereira

Bom, iniciei com dança em minha igreja por volta de 2002 – 2003 com o passar do tempo era nítido observar que as movimentações para homens era bem deixadas de lado. Fui procurar então aulas seculares de dança para poder entender como levar os passos para algo mais masculino e também para aperfeiçoamento das danças, iniciei então com o Jazz Dance na Academia Wanja Mota em sobradinho, logo minha professora me incentivou a fazer Ballet Clássico mais por causa de preconceito, inclusive meus, fui muito resistente a aceitar, quando fui convidado a substituir um bailarino em um espetáculo e fui tragado pelo Ballet (heheheh…) logo virei monitor nas turmas da academia. O fato de sempre falar para meus professores meus objetivos com as aulas me ajudava muito, pois, sempre falei que queria fazer aulas para dar aulas pro meu grupo na igreja, por isso fazia todas as aulas e sempre fui direcionado ao ensino da dança, foi quando comecei a fazer aulas em outras escolas e assim fui me profissionalizando para o ensino da dança. Sobre o preconceito, a principio eu mesmo tinha, então pensando em uma época de inicio creio que é normal o preconceito, por ser algo novo e etc. Mais assim sendo bem realista até hoje existe, lembro-me de dois casos um é bem antigo e me deixou muito triste por ser de alguém próximo a mim, vi um grupo de garotos falando mau de mim, coisas do estilo que dança era coisa de menina e etc, e vi um amigo muito próximo nesse grupo de garotos rindo e tendo essa atitude preconceituosa. Outro caso foi recente, estava andando na rua com uma blusa da minha academia que estava escrito “Bailarino” atrás, eu estava no celular conversando com uma colega e tinha dois garotos andando atrás de mim que começaram a comentar coisas assim: (Olha só, bailarino… iiii… olha ele ta falando no celular será que é com um cara… iii.. noa sei noa…) Então desliguei o celular virei para traz e falei: Alguém problema? Tem alguma coisa para me falar? Rapidamente um dos meninos virou e falou não fui eu foi ele! Falei então: Cara, vou ser muito real com você, sorte sua eu ser uma pessoa tranquila que so vou falar com você agora se fosse outra pessoa você poderia apanhar aqui ou algo pior, por mais que não seja da sua conta eu vou falar pra você; Sou bailarino sim, não sou homossexual, sou casado com uma bailarina e me sustento com a minha dança e etc. Sobre a abertura da academia Espaço Adorar: Bom, quando comecei a dar aulas para as pessoas do meu grupo comecei a dividi-los por turmas e níveis, assim nascendo minhas primeiras turmas, com o tempo outras igrejas me procuravam para aulas, quando recebi proposta de academias e comecei a dar aulas em diversos lugares. Ao perceber o numero de alunos que já tinha percebi que seria oportunidade de abrir minha própria escola, fui muito incentivado pelos meus chefes antigos de abrir meu próprio negocio e realmente foi um sucesso, no dia de matricula fiquei muito assustado na verdade, pois, não espera uma resposta tão boa de primeira. Outra coisa interessante e que muitos homens procuram fazer aulas comigo por ouvir falar que trabalho com a técnica masculina. Gente e ao longo da história toda sua esposa Julianne Neves esteve ao lado dele em vários momentos, ela também é bailarina.

1003527_663710766973987_1988358048_n

35458_652407524770978_1971503109_n

998165_649535405058190_1044109886_n

STREET DANCE (DANÇA DE RUA)

Entrevistada: Gabi Soares

Ah ! Dança. Que palavra linda. Eu sou a Gabi, tenho 20 anos e se me perguntarem o que eu mais gosto de fazer eu vou responder : Dançar ! Quando eu era novinha, assistia aos filmes de dança e os olhos enchiam de lágrimas rsrs e meu sonho era ser igual aquelas meninas ! ( e é até hoje ) Pensava que aquilo ”existia” só nos Estados Unidos kkk Com o tempo fui crescendo, fiz ballet por um tempinho , mas o que eu sempre quis de verdade era dançar street dance (dança de rua) ! Achava aquilo impressionante, maravilhoso ! Porém, não sabia nem por onde começar, não achava lugar que desse aulas, aliás, eu até encontrei.. Mas, era bem longe de onde eu morava e os preços não eram acessíveis :I Daí quando eu tinha 13 anos tive a oportunidade de aprender algumas coisinhas básicas na minha igreja . Na época meus pais não gostavam muito pois eu era praticamente a única menina ali , mas com o tempo foram se acostumando e percebendo que eu realmente gostava daquilo . As aulas não duraram muito tempo mas a paixão pela dança continuou ! Fiquei parada alguns anos. E hà um ano atrás, meu lindo amigo abriu um espaço de dança e é lá que eu tenho tido a oportunidade que eu tanto esperei ahaha aprender a dançar o/ O que eu sinto quando estou dançando ? Não sei ao certo.. É uma sensação muito boa, gosto de descontar minhas emoções na dança, e mesmo não estando muito bem a maioria das vezes o meu remédio é dançar. Estou aprendendo um pouco a cada dia ! Hoje faço o tão esperado street dance kkk e não só ele.. Estou aprendendo o Ragga , (que também é outro estilo que sou fascinada) o Zouk e também forró haha Acho lindo todos os tipos de dança, cada um com seu toque único, com sua leveza e doçura ! E é isso.. sou a Gabi e sou realmente apaixonada pela dança ^^

1234708_466525563444902_1692968153_n

969984_465658946864897_1869414165_n

1379530_470047089759416_474104495_n

Mais fotos da Gabi AQUI 🙂

ZOUK

Entrevistada: Jessica Miranda

Ola, meu nome é Jessica, sou bailarina, tenho 20 anos e estou cursando Licenciatura em Dança pelo IFB. O Ballet é minha paixão, não nasci com todos os quesitos para ser uma bailarina clássica profissional, mas sempre tentei superar meus limites… ver até onde poderia ir, sempre dando tudo de mim em tudo que faço. Hoje, há um estilo de dança que tem me despertado algo novo, um amor novo e é a dança de salão ! Quero usar meus conhecimentos do Ballet nessa nova etapa e é onde quero seguir agora. O Zouk por exemplo é outra paixão, um ritmo que vai além de passos… te move de dentro pra fora, te desperta! Conheci o Zouk através de amigos, onde eu, como sempre não esperei por ninguém, fiz acontecer e fui atrás de conhecimento. Muitos repreendem o ZOUK, ou não querem fazer pois dizem ser muito sensual ( sensual não é ser vulgar). É uma dança sensual ? Pode se dizer que sim, mas a sensualidade é de cada um e você impõe sua sensualidade, você impõe sua dança. É uma dança pra qualquer pessoa, independente de religião, cor…! Hoje sei o que quero e aonde quero chegar e é ai onde trabalho e estudo mais e mais para alcançar esse objetivo. Costumo dizer que “Quem dança é mais feliz” … a dança te abre oportunidades, te abre as portas pra novas amizades, pra uma vida mais duradoura e cheia de saúde, te faz uma pessoa melhor. Quando danço me sinto livre, me sinto eu mesma, me sinto extremamente feliz , é como se os problemas não existissem.

1661582_599083680174785_1518088426_n

1011228_583251495091337_1173114829_n

1011604_605681836181636_1942351567_n

BreakDance

Entrevistada: Debora Capistrano

Conheci o BreakDance através de amigos que já dançavam. E me interessei pela forma como dançavam, eram Batalhas, um contra o outro, se alguém não estava de acordo com outro, não gostava do outro,etc., tinha que resolver na roda, dançando. E comecei a ir aos encontros de Bboy e Bgirls que acontece todo primeiro sábado de cada mês no Conic. E passei a entender melhor que, muitos dançam por amor mesmo e não simplesmente por dançar e que, não basta só ter estilo ou marra, tem que saber dançar e gostar. Comecei a treinar juntamente com meus amigos, no início foi complicado porque no breakdance há muitos graus de dificuldade e encaixar um passo em uma batida de uma música pode parecer fácil mas no break tem que ter um conhecimento da música para encaixar não só um passo, mas vários passos em um beat da música. Danço há 3 anos e estou sempre aprendendo. Hoje com um pouco do conhecimento que possuo sobre o Break, confesso que danço por amor e me identifico muito, porque dançando Break eu passo o que eu tenho de melhor, o sentimento pela dança.

1555469_723920477641372_61079684_n

1482064_738920179474735_376748769_n

10000043_738920172808069_2074962543_n

Eai, gostaram? Eu sou apaixonada por dança. Quem gostou dessas modalidades e quiser aprender entrem em contado com o Espaço Adorar lá tem todas essas modalidades. Espero que tenham gostado do post, agradeço a todos entrevistados, obrigada mesmo ❤ Beeeeijo e até a próxima ♥

Louvem eles o seu nome com danças, ofereçam-lhe música com tamborim e harpa.
Salmos 149:3

Anúncios

2 comentários sobre “Você e a Dança ♥

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s